logotipo Melhor do Vôlei
Especiais

Autor Júnior Barbosa Data 09/01/2018 21:28

Em noite de Carol Albuquerque, Vôlei Nestlé bate São Caetano de virada

Carol recebeu VivaVôlei de Tandara (
Foto: João Neto / Fotojump)

O ano de 2018 começou em alta para o Vôlei Nestlé. Na retomada da Superliga, a equipe de Osasco bateu, de virada, o São Cristóvão Saúde/São Caetano por 3 sets a 1, parciais de 22/25, 25/23, 25/18 e 25/18, em 1h43min. Na partida desta terça-feira (9), no ginásio José Liberatti recebendo 2.800 pessoas, destaque para a levantadora Carol Albuquerque, que ganhou o VivaVôlei como a melhor em quadra das mãos de Tandara, ausente em função de um torcicolo. A maior pontuadora foi a peruana Angela Leyva, com 20 acertos.

Com o troféu nas mãos, Carol falou sobre a importância de começar 2018 com o pé direito individual e coletivamente. “É sempre muito bom começar o ano com uma energia boa, e esse prêmio é uma motivação a mais, pois sei que o meu papel é entrar no jogo e ajudar o time. Fico feliz por ter conseguido e, mais importante, que conquistamos os três pontos”, afirmou a levantadora, que completou. “Sabíamos que seria uma partida muito difícil. Elas vieram soltas, sem responsabilidades, pois o favoritismo era nosso e meteram a mão no saque desde o início. Demoramos um pouco para encontrar nosso ritmo. Mas aos poucos fomos achando o nosso jogo e todo mundo que entrou contribuiu para a vitória.”

Lorenne ganhou a vitória sobre o São Caetano como presente de aniversário. A oposta completou 22 anos nesta segunda-feira (8) e teve papel importante na vitória. Sem Tandara, ela entrou no segundo set – no lugar de Paula – e contribuiu com 10 pontos. “Foi um ótimo presente de aniversário. Acho que minha atuação podia ter sido um pouco melhor, mas nesse momento está bom. Eu não estava conseguindo jogar muito bem, entrava nervosa em quadra, mas nesta noite fluiu e vou tentar melhorar a cada treino e crescer a cada jogo.”

Luizomar comentou as dificuldades e celebrou a vitória em casa. “Do outro lado tínhamos um adversário que já no primeiro turno fez um grande jogo contra a gente. Saímos com os 3 pontos, e isso foi mais importante, principalmente se levarmos em conta que perdemos o set inicial e saímos de um 18/21 no segundo set para ganhar por 3 a 1. Fico feliz pela virada e vamos em frente, porque ainda temos praticamente todo o segundo turno”, analisou, para complementar. "A equipe tem potencial de crescimento, jogamos sem a Tandara, um desfalque importante. Também tivemos dificuldade com a Fabíola, pois a nenê dela teve um problema à noite e ela praticamente não dormiu. Foi um dia complicado, no qual tivemos que ajustar a equipe no treino da manhã e durante a partida. Mas o importante é que soubemos superar tudo isso".

O treinador também elogiou Carol Albuquerque. “A Carol é uma jogadora que dispensa comentários pela importância e a qualidade. É uma campeã olímpica que nos ajuda muito no jogos e no dia a dia. Ela se prepara para realmente socorrer o time, quando necessário. Foi assim no primeira partida semifinal da Superliga no ano passado, quando não pudemos contar com a Dani Lins. E hoje a entrada dela foi determinante.”

Em terceiro lugar na Superliga, a equipe de Osasco conquistou a terceira vitória consecutiva e manteve 100% de aproveitamento no returno da Superliga. O próximo compromisso será nesta sexta-feira (12), contra o Pinheiros, no ginásio do adversário. O jogo será às 21h30, com transmissão do Sportv.

O jogo – O primeiro set foi marcado pelo elevado número de erros dos dois lados, especialmente na recepção. Assim, venceu quem conseguiu controlar um pouco mais o passe. O Vôlei Nestlé apresentou muita instabilidade, o que forçou o técnico Luizomar a gastar seus dois pedidos de tempo no 10/13 e 12/17. Após uma sequência de três saques de Angela Leyva, com direito a um ace, o time de Osasco encostou no 15/17 e seguiu lutando. Fez 19/20 com Mari e 22/23 com Paula. Porém, o São Caetano segurou o placar até vencer por 25/22.

A segunda parcial também foi equilibrada. Os dois times se alternaram na ponta do placar até o 16/16, quando o São Caetano aproveitou melhor as oportunidades de contra-ataque para deslanchar e chegar ao 21/18. Foi quando Bia apareceu. A central fez dois pontos de bloqueio para garantir o empate em 21/21. Na sequência, Carol Albuquerque (que entrou na inversão ao lado de Lorenne para não sair mais de quadra) emendou um ace para encaminhar a vitória em 25/23. O ponto final veio em um bloqueio de Ninkovic.

Lorenne, que entrou bem no jogo, seguiu como eficiente opção nas bolas de segurança. A oposta e a ponteira Leyva tiveram muitas oportunidades nos contra-ataques com a melhora da defesa do Vôlei Nestlé. Bia e Ninkovic também acertaram o bloqueio, o que facilitou o trabalho da líbero Tássia. O resultado, foi uma parcial tranquila para as donas da casa, que conseguiram a virada na partida ao ganhar o terceiro set por 25/18.

Embalado pela boa atuação na parcial anterior, o Vôlei Nestlé entrou com atitude e disposição para fechar a partida em 3 a 1. E mesmo depois de permitir um esboço de reação do São Caetano – saiu do 12/7 para 12/11 – soube colocar a cabeça no lugar para voltar a impor seu jogo e segurar a dianteira do placar. Mari desceu o braço para fazer 24/18 e, em um erro do adversário, o time de Osasco fechou o jogo em 25/18.

Vôlei Nestlé entrou em quadra com Fabíola (3), Paula (5), Bia (11), Ninkovic (9), Mari Paraíba (9), Angela Leyva (20) e a líbero Tássia. Entraram: Carol Albuquerque (2), Lorenne (10) e Kika. Técnico: Luizomar de Souza.

São Cristóvão Saúde/São Caetano entrou em quadra com Sabrina (15), Fernanda Tomé (17), Lyara (3), Mimi Sosa (14), Camila (10), Sonaly (9) e a líbero Andressa. Entraram. Gabi, Ana Flávia e Kisy. Técnico: Hairton Cabral.

 

 

Quer aproveitar as promoções da Futfanatics? Corre lá que os preços estão incríveis!

Confira outras notícias

Apoio

Parceiro