logotipo Melhor do Vôlei
Especiais

Autor Júnior Barbosa Data 09/11/2020 13:37

Pinheiros aposta em crescimento na Superliga

Yael e Gabi Martins são algumas das novidades da equipe. (
Foto: Ricardo Bufolin/ECP)


O Pinheiros estreará na Superliga 2020/21 nesta segunda-feira (09/11) contra o vice-campeão paulista Sesi Bauru às 21h30 no Poliesportivo Henrique Villaboim, com transmissão ao vivo do SporTV. Na mesma semana (13/11) estará em Belo Horizonte para enfrentar o atual campeão brasileiro (2019) Itambé Minas, ao vivo no Canal Vôlei Brasil. Serão dois jogos contra dois candidatos ao título em apenas cinco dias.

A chegada à semifinal do Campeonato Paulista levou o time ao primeiro objetivo da temporada. Para a Superliga, a meta também está definida conforme aponta o treinador pinheirense. “A filosofia de jogo não está no foco de vencer A, B, C ou D. Temos de focar no nosso desempenho e fazer a nossa parte, sem nos preocuparmos com os rivais”, afirma Reinaldo Bacilieri em sua primeira Superliga como técnico do Pinheiros.

“A pressão é muito mais interna para entrarmos na quadra e fazer o melhor possível. O mais importante é jogarmos sempre bem. Ganhar ou perder será uma consequência”, considera Bacilieri. Há também por parte da comissão técnica e das atletas, uma projeção para que o time resgate a tradição de chegar aos playoffs da Superliga, o que não aconteceu nas duas últimas temporadas.

O Pinheiros tem em seu elenco apenas três jogadoras com experiência mais ampla em Superligas: a ponta Priscila e as levantadoras Ana Cristina e Yael, ambas contratadas neste ano. Priscila parte para sua segunda temporada no Pinheiros e a décima edição da competição nacional em sua carreira. “A vontade das meninas mais novas é contagiante. É um grupo muito unido, que sabe escutar com disciplina, tanto a comissão técnica quanto as jogadoras mais velhas”.

Entrega de 110% – Priscila enaltece a sintonia que a equipe desenvolveu em apenas dois meses de trabalho. “A troca de informações com as mais jovens também nos traz aprendizado. Quem ganha é o grupo. Qualquer que seja o adversário, estamos preparadas para render 110%. Não tem essa de não ter obrigação de ganhar. O objetivo é chegar entre os oito. Pelo histórico, o clube merece”.

A oposta Kimberlly, que ainda irá completar 21 anos, com a possibilidade de jogar efetivamente sua primeira Superliga, é o retrato da motivação da equipe. “Fiz um trabalho a longo prazo no Sesi Bauru e agora estou colhendo os frutos no Pinheiros. Estou me sentindo em casa, como se o time fosse minha família. Novos ares, novos sonhos, novos voos. Estou pronta para voar”, afirma Kimberlly.

A também oposta Edinara, destaque do Pinheiros em 2019, antes da lesão e da cirurgia no joelho em novembro, segue em estágio final de recuperação, aprimorando a condição física e os movimentos de jogo. Depois das duas primeiras partidas na próxima semana, o Pinheiros volta a jogar em casa contra o Sesc Flamengo em 17 de novembro às 21h30.

Confira outras notícias

Apoio

Parceiro